Androides sonham com ovelhas elétricas? De Philip K. Dick


Androides sonham com ovelhas elétricas?, é um livro escrito pelo grande autor Philip K. Dick, originalmente publicado em 1968. No Brasil, foi publicado pela Editora Aleph em 2014. A obra também serviu como referência para os filmes Blade Runner e Blade Runner 2049 (2017).

Rick Deckard é um caçador de recompensas. Ao contrário da maioria da população que sobreviveu à guerra atômica, não emigrou para as colônias interplanetárias após a devastação da Terra, permanecendo numa San Francisco decadente e coberta pela poeira radioativa que dizimou inúmeras espécies de animais e plantas. Na tentativa de trazer algum alento e sentido à sua existência, Deckard busca melhorar seu padrão de vida até que finalmente consiga substituir sua ovelha de estimação elétrica por um animal verdadeiro - um sonho de consumo que vai além de sua condição financeira. Um novo trabalho parece ser o ponto de virada para Rick: perseguir seis androides fugitivos e aposentá-los. Mas suas convicções podem mudar quando percebe que a linha que separa o real do fabricado não é mais tão nítida como ele acreditava. Em 'Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?' Philip K. Dick cria uma atmosfera sombria e perturbadora para contar uma história impressionante, e, claro, abordar questões filosóficas profundas sobre a natureza da vida, da religião, da tecnologia e da própria condição humana.

Ficha Técnica:
Título: Androides Sonham com Ovelhas Elétricas? | Autor: Philip K. Dick | Ano: 2014 | Páginas: 272
Idioma: português | Editora: Aleph | Tradução: Ronaldo Bressane

Eu sempre gostei de Blade Runner e sempre tive vontade de ler a obra que deu origem aos filmes. No entanto, eu era consumida por um medo besta de não gostar do livro, de não me adaptar ao estilo de narrativa do autor e me decepcionar com um mundo que tanto aprecio e amo. Mas, felizmente, tudo se resolveu e eu tive uma das melhores experiências com um livro de ficção científica da minha vida.

Esta é a condição básica da vida, ser obrigado a violar sua própria identidade. Em alguma ocasião, todas as criaturas vivas têm que fazer isso. É a sombra final, a derrota da criação, a maldição em ação, a maldição que se alimenta de toda a vida. Em toda parte do universo.

Aqui temos Rick Deckard, um caçador de androides. Um dos poucos que ainda vivem na Terra. Rick, sua esposa e uma ovelha elétrica constituem essa família "moderna". No entanto, o seu maior sonho era cuidar de um animal vivo, e não só pelo desejo de ter um devido a falta no novo mundo, mas também pelo status social adquirido quando se tem um, mas como é de se imaginar, o valor de um animal vivo era exorbitante. Rick recebeu um desafio de eliminar androides de uma última geração e é aqui que começa a sua jornada pessoal-interna (como eu gosto de chamar), tendo que entender seus limites físicos e psicológicos, refletindo sobre a humanidade, sobre matar outro ser humano e por um fim em um ser com consciência.

Como mencionei acima, esse foi o meu primeiro contato com o autor, eu não sabia muito bem o que esperar em relação a sua escrita, visto que a história eu já conhecia, pelo menos pelos olhos da adaptação cinematográfica. No entanto, eu já sabia que o autor gostava de trazer temas pesados, reflexivos, porque sua escrita é tão envolvente, que faz com que o leitor saia de um senso comum e pense muito além.. E isso é feito de uma forma tão passiva-agressiva que o leitor quando percebe que está sendo induzido a pensar diferente, realmente entra em um estado de "meu deus" (outra expressão minha para definir a minha leitura).

Em relação às reflexões, temos uma abordagem muito grande em relação a religião, que é um tema que possui bastante evidencia no livro, mas ao contrário de outros pontos reflexivos, aqui é mais subjetivo, de forma que cada leitor interpretará de uma maneira diferente. Se formos a fundo em cada linha e pedaço desse livro, podemos extrair muitos assuntos, a relação com o material, em relação a obsessão aos animais vivos, por exemplo. Mas essa resenha não está aqui para diminuir a experiência única de ninguém.

A narrativa de Philip K. Dick é muito fluída, o que foi uma surpresa para mim, mas mesmo sua escrita sendo tranquila, o conteúdo é denso e reflexivo e requer mais atenção e dedicação do leitor, pelo menos dos que querem tirar muito mais do livro, já que esse exige mais do que normalmente (alguns) os outros livros. Quando digo que Androides sonham com ovelhas elétricas? exige mais, é porque ele faz com que o leitor se comprometa a entender o mundo e entender os motivos do autor estar escrevendo tudo aquilo e contando essa história, e, apesar de ser entretenimento, ele é muito mais que isso em suas entrelinhas. Androides sonham com ovelhas elétricas? é um livro existencialista, que faz o leitor realmente questionar coisas sobre a humanidade e seus deveres, juntamente com o protagonista do livro.

Em Suma, Androides sonham com ovelhas elétricas? é tudo o que eu esperava e mais um pouco. Não sei se é porque eu aprecio leituras que me fazem pensar, que me fazem sentir alguma coisa diferente, mas esse livro realmente mexeu comigo. Eu terminei a leitura dele tem algumas semanas, mas estava difícil de colocar para fora todas as coisas que eu aprendi com ele. A leitura é entretenimento, mas também serve para que sejamos pessoas melhores, melhores pensadores. O senso crítico dessa história é muito apurado e por isso, faz com que a gente pense de uma forma diferente e, mesmo sendo uma distopia, parece que muita coisa conversa com nosso tempo atual. Portanto, se você busca uma leitura que seja realmente interessante e te faça pensar mais e melhor, eu recomendo fortemente.

7 comentários

  1. Até que fiquei com vontade de ler essa obra, pois gosto muito de ficção científica, porém um livro desse estilo deve ser muito bem escrito, mas no finalzinho da sua resenha eu meio que fiquei encima do muro, mas a curiosidade está falando alto aqui e quem sabe não leio. Não ficará como uma leitura prioritária, mas está na lista.

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda não conheço a escrita do autor e nem mesmo a história eu conhecia, mas saber que os temas abordados por ele são pesados e ainda sim reflexivos me anima a querer sair da minha zona de conforto, pois assim como você eu gosto de leituras que me fazem pensar, que mexe comigo. Então é recomendação anotada.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Gosto quando uma obra nos faz pensar além do que a história está contando. Por isso gosto bastante dos livros desse autor. Essa é uma leitura que eu ainda quero fazer, de preferência nas férias, para ler com mais calma.
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Heiii, tudo bem?
    Eu tenho exatamente o mesmo receio que vc!
    Gosto mto dos filmes de Blade Runner e sempre prefiro ver do que ler essas histórias tecnologicas e futuristas, pq gosto do visual e tudo mais que envolver mostrar o futuro.
    Bom saber que a história nao te decepcionou e na verdade até te entregou mais do que vc esperava! Eu tenho a ediçao comemorativa de 50 anos e por dentro é mtooo maravilhoso, vou ler com certeza.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  5. Heiii, tudo bem?
    Eu tenho exatamente o mesmo receio que vc!
    Gosto mto dos filmes de Blade Runner e sempre prefiro ver do que ler essas histórias tecnologicas e futuristas, pq gosto do visual e tudo mais que envolver mostrar o futuro.
    Bom saber que a história nao te decepcionou e na verdade até te entregou mais do que vc esperava! Eu tenho a ediçao comemorativa de 50 anos e por dentro é mtooo maravilhoso, vou ler com certeza.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  6. Oie!
    Eu gosto de livros que sempre trazem um diferencial, e nesse, notei que vou ficar a refletir. Gostei muito dessa dica, ainda não tive a oportunidade de ler, mas fiquei bem interessada.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  7. Oi! Não li nada ainda do Philip e apesar de não ser muito chegada a ficção, achei a obra dele bem consistente e parece não ser cansativa, cheia de termos que a gente não consegue entender.
    Obrigada pela dica!

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir