Posts Recentes

Filme: Nasce Uma Estrela

18 outubro 2018

Imagem relacionada
























Ano produção: 2018
DireçãoBradley Cooper
Duração: 2h 16min
Classificação: Não recomendado para menores de 16 anos
Gênero: Drama, Romance
País de Origem: Estados Unidos da América



O tão esperado A Star Is Born (título original) chegou recentemente aos cinemas e muitas críticas positivas já foram feitas a respeito do filme. A nova versão da história, já produzida anteriormente em outras versões, agora é interpretada por Lady Gaga e Bradley Cooper, também diretor da longa. Vale ressaltar que é a primeira vez que o ator dirige um filme e a primeira vez em que Lady Gaga ganha um papel de tamanha importância, já que muitos críticos afirmam a obra tem grandes chances de ter indicações ao Oscar.

Nasce Uma Estrela retrata a história de Ally (Lady Gaga), uma jovem que sonha em ser cantora, entretanto, mesmo com todo o talento que possui nunca conseguiu uma oportunidade para seguir a carreira musical, assim, trabalha em um restaurante, mas sempre se apresenta em um clube noturno. Certo dia, o clube em que a jovem está se apresentando recebe a ilustre visita do astro da música, Jackson Maine (Bradley Cooper), que se encanta com a voz de Ally e resolve ajudá-la a realizar seu sonho.

Ao longo da história, os personagens acabam se apaixonando, assim, ao mesmo tempo acompanhamos a ascensão de Ally em sua carreira musical e a luta de Jackson contra o alcoolismo e vício em drogas. A complicada história de amor entre Ally e Jack é emocionante, ambos tentam se apoiar em todos os momentos, mas os impasses da luxuosa vida de um astro da música podem prejudicar até mesmo aqueles se que amam profundamente.


Resultado de imagem para a star is born


Como uma grande apreciadora de filmes de romance, só posso dizer que amei Nasce Uma Estrela, as cenas musicais estão impecáveis, a fotográfia está ótima e a atuação de ambos os atores está fantástica. Com certeza o filme tem grandes chances de ser indicado a alguma categoria do Oscar. Quero ressaltar em especial a atuação de Lady Gaga, a atriz me surpreendeu de uma forma muito positiva, na minha humilde opinião, Gaga é a artista mais completa da década, ela assumiu o papel de Ally com perfeição, suas cenas de drama estão incríveis e sua voz é impactante. 

A cena em que mais me emocionei foi o primeiro dueto do casal, a música ''Shallow'', composição feita especialmente para o filme é linda, aliás, a trilha sonora de Nasce Uma Estrela está sensacional, as músicas são todas impactantes, difícil não se emocinar.

Nasce Uma Estrela é um romance clichê, mas que ganha grande potência com os números musicais impecáveis, ainda, trata de um tema importante como o vício em drogas e álcool. Se você está procurando um bom filme, assista Nasce Uma Estrela, com certeza você irá se emocionar.


A Magia do Silêncio, de Kankyo Tannler

14 outubro 2018

A Magia do Silêncio é um livro escrito pela monja Kankyo Tannler e publicado no Brasil pela Editora Sextante em Setembro de 2018. O livro mescla auto-ajuda com um pouco de auto biografia e traz lições sobre como trazer o silêncio muito mais próximo de nós, mas com uma perspectiva moderna da filosofia budista.

Celebrada como uma nova e original voz do budismo, a monja francesa Kankyo Tannier parte de sua rica experiência pessoal para nos mostrar o poder transformador da prática do silêncio. Não apenas o silêncio das palavras, mas também dos pensamentos (reduzindo julgamentos e críticas internas), dos olhos (evitando o excesso de informações) e do corpo (reencontrando o prazer de estar presente a cada momento). Escrito com sensibilidade e a dose certa de humor, A magia do silêncio traz dicas, meditações e exercícios práticos para incluir pequenos intervalos de paz na agitação do dia a dia. Ao fazer essas pausas, os sentidos despertam e voltam a se abrir para as maravilhas escondidas na vida cotidiana.

Ficha técnica:
Título: A magia do Silêncio | Autora: Kankyo Tannler | Ano: 2018 | Páginas: 160 | Idioma: português  | Editora: Sextante
Livro cedido em parceria com a editora.

Eu amo quando um livro tem o poder de mudar os hábitos, de me fazer respensar sobre minhas atitudes e melhorar os meus hábitos. Eu não sou uma fã assídua de auto ajuda, mas tenho lido alguns livros do gênero e tenho gostado muito da experiência. A Magia do Silêncio é um deles, porque além de jovem e possuir uma linguagem muito acessível, as dicas são realmente válidas.

Eu medito faz algum tempo, mas ainda assim, às vezes me deixo levar pelos ruídos não bons da vida. Acontece, somos seres humanos. Nesse livro, a monja (e autora), nos traz vários métodos de buscar o nosso silêncio interior e nos fazer realmente por em prática. Uma das coisas que eu mais gostei nesse livro, é a linguagem fácil, assertiva e de um jeito que faz com que o leitor seja realmente instruído pela autora. O livro não é feito de frases prontas, a autora deixa isso muito claro, ela te faz se aprofundar nos seus ensinamentos, mas de uma forma que você tenha consciência daquilo que está escolhendo fazer.

O livro é dividido em algumas partes, são elas: 

Parte 1 - O que é o silêncio?
- Capítulo 1: As virtudes do silêncio.
Aqui a autora traz a definição, alguns benefícios de uma vida mais silenciosa e como superar os obstáculos.
- Capítulo 2: os grandes silenciosos.
A autora nesse capítulo aborda sobre os animais, considerados reis do silêncio e também um pouco do silêncio em um mosteiro.

Na parte 2: Silencie tudo:
- Capítulo 3: silencie os olhos.
A autora aborda a poluição visual e o fascínio pelas telas, como controlar o olhar como tranquilizar o olhar com as pausas visuais, os benefícios da simplicidade e como encarar as imagens mentais e como deixá-las ir depois disso.
- No capítulo 4: silencie as palavras.
Ela traz o mito do silêncio total, como aprender a se calar e os exercícios para clarear a mente e silenciar o crítico interior que habita em nós.
- No capítulo 5: silencie o corpo.
Como o próprio nome diz, ela apresenta como se forma um corpo ausente, como entender sua relação com o seu corpo, como saber sentir e como ser o corpo silencioso.

Na parte 3: A prática do silêncio:
- Capítulo 6: uma prática de silêncio em casa.
Aqui ela vai nos ensinar como praticar em casa, todo a preparação e o procedimento.
- Capítulo 7: o silêncio dos atos ou espiritualidade ética:
A monja traz ensinamentos sobre a Terra, uma mãe superpaciente, um retorno à simplicidade e vegetarianismo, como não comer seus amigos. 

O que eu quero dizer é, esse livro ele traz ensinamentos que vão nos ajudar no dia a dia. Ainda mais em tempos em que os ânimos estão tão exaltados e as pessoas com tanto ódio. Eu acho importante termos conciência sobre o nosso corpo e a nossa mente e como cuidar melhor de nós mesmos. Se você busca um livro que não seja um clichê de auto ajua, esse aqui é definitivamente para você.

A Magia do silêncio traz uma perspectiva mais jovem do budismo, com uma autora que segue os ensinamentos, mas não fica reclusa em um ambiente como o mosteiro. Traz ensinamentos e métodos eficazes (sim, pois eu estou praticando-os) para que tenhamos uma vida mais equilibrada e que nossa mente e nosso corpo estejam alinhados para que possamos ser mais calmos e felizes.

Doce Lar, de Tillie Cole

11 outubro 2018

Aos vinte anos, Molly Shakespeare acha que já sabe de tudo. Ela leu Descartes e Kant. Ela estudou em Oxford. Ela sabe que as pessoas que te amam também te deixam. Mas quando Molly se muda da cinzenta Inglaterra para começar uma nova vida nos Estados Unidos, ela descobre que ainda tem muito a aprender. No Alabama os verões são mais quentes, as pessoas mais intimidantes e os alunos de sua nova escola muito mais viciados em futebol. Após conhecer o famoso quarterback Romeu Prince, Molly só consegue pensar em seus olhos castanhos, cabelos loiros, físico perfeito. E em como sua vida tranquila e solitária parece estar a ponto de mudar 


Ficha técnica:
Título: Doce Lar| Autor: Tillie Cole| Ano: 2018| Páginas: 319 | Idioma: português Editora: Editora Planeta

Olá leitores, hoje vou falar um pouco sobre a minha mais recente leitura, o primeiro volume da Série Sweet, Doce Lar, da autora Tillie Cole. Essa foi a primeira vez que li algo da autora, confesso que estava muito ansiosa para conhecer a escrita da Tillie e esse livro me pareceu uma boa opção de leitura, visto que tinha uma história interessante e a capa é muito linda.

A autora, Tillie Cole, é mundialmente conhecida por seu romance Mil Beijos de Garotos. Quem já teve contato com sua escrita sabe que seus livros se tratam de romances arrebatadores com grande toque de drama. Como uma grande fã de New Adult, já conhecia a fama da Tillie e estava louca para ler algo da autora.

Doce Lar conta a história de Romeo Prince e Molly Shakespeare, dois universitários que não possuem nada em comum, mas que por força do destino acabam se apaixonando.

Molly é uma garota inglesa e se mudou para realizar seu mestrado em filosofia na universidade do Alabama e acaba se aproximando de Romeo, o Quarterback mais famoso do time de Futebol Americano local. Romeo é o típico bad boy, bonitão e desejado pelas garotas, já Molly é a garota certinha e super inteligente. Entretanto, ambos carregam uma bagagem emocional muito grande.

No decorrer da leitura percebemos o díficil relacionamento de Romeo com os pais, que visam controlar todos os atos do garoto, fazendo com que este se sinta sufocado e não tenha liberdade para realizar seus sonhos. Já Molly, cresceu sem os pais e aprendeu muito cedo a se virar, sendo uma pessoa mais retraída. Podemos dizer que ambos se completam e aprendem um com o outro, além disso, são um casal muito intenso. 

Ao longo do livro muitos fatos acontecem e o casal tem que superar muitas questões relacionadas ao passado e enfrentar pessoas que não estão dispostas a deixarem esse relacionamento fluir.

Sou a ingênua Julieta Capuleto, arriscando tudo para jantar com os Montéquio. - ele revirou os olhos e disse:Julieta não foi insensata o bastante para correr esse risco. Eles simplesmente fugiram juntos e se casaram - um bom plano. Mas minha versão da Julieta resolveu que conhecer seus inimigos mortais vai ajudar nossa causa. Logo veremos se é verdade, mas quero deixar registrado que acho que é uma ideia bem idiota.
- Mas uma coisa certamente é igual.
- O quê? - perguntei.
- Que eu sinto por você o que Romeu Montéquio sentia por Julieta - Ele entrelaçou os dedos nos meus - Eu também abriria mão de tudo por você.
Encostei a cabeça em seu ombro, vendo pelo para-brisa o sol cansado baixando no céu. Respeirei fundo e sorri comigo mesma. Nada que seus ais pudessem dizer ou fazer me afastaria dele.  

Doce Lar é o típico clichê, porém, alguns elementos da história são bem interessantes. Por exemplo, a autora trouxe muitos elementos da filosofia, o que achei bem interessante, também menciona muitos trechos do clássico Romeu e Julieta, de William Shakespeare.

Adorei a escrita da Tillie, mas infelizmente me decepcionei muito com a história. Na minha opinião era para o livro ter sido sensacional, porém deixou muito a desejar, muitos fatos não tiveram nexo. Recomendo a leitura para que tirem suas próprias conclusões.

Filme: Felicidade Por Um Fio

04 outubro 2018


Resultado de imagem para FELICIDADE POR UM FIO

Ano produção: 2018
Direção: Hifaa Al-Mansour
Duração: 98min
Classificação: Não recomendado para menores de 12 anos
Gênero: Drama, Comédia romântica, romance
País de Origem: Estados Unidos da América

Violet Jones (Sanaa Lathan) tem uma vida aparentemente impecável até que um acidente ao arrumar o cabelo faz com que as coisas em sua vida se desenrolem e ela começa a perceber que estava vivendo a vida que pensava que deveria viver, não a única que realmente queria. Violet começa a descartar algumas coisas que realmente não precisava, começando pelo cabelo perfeitamente endireitado e tenta encontrar um verdadeiro significado para a sua vida.

A gigante de streaming, Netflix, vem apostando cada vez mais em adaptações literárias e filmes que busquem exaltar a representatividade. Recentemente, as produções originais da Netflix receberam ótimas críticas e estão se destacando no cenário cinematográfico. Além disso, o público tem se encantado com suas novas produções e maneiras de abordar questões importantes de uma forma leve e descontraída. 

Confesso que sou uma grande fã das produções originais da Netflix, acredito que além de atrair público, as grandes mídias tem papel fundamental em influenciar e representar o público alvo, portanto, acredito que a produtora tem feito isso de uma maneira positiva e está inserindo questões fundamentais a serem discutidas.

Recentemente assisti a sua mais nova produção original, Felicidade Por Um Fio, e não cabe em palavras o quanto eu amei esse filme. Acredito que todas as mulheres, principalmente mulheres negras, deveriam assistir esse filme sensacional e que traz uma mensagem importante sobre amor próprio e empoderamento feminino.


Resultado de imagem para FELICIDADE POR UM FIO


Baseado no livro Nappily Ever After, o filme conta a história de Violet Jones, uma mulher inteligente, bem-sucedida e linda. Contudo, Violet sempre se importou muito com a sua aparência e para ela seu cabelo crespo sempre foi um problema, assim, desde pequena se sujeitava a procedimentos químicos para alisar o cabelo.

Durante toda sua vida, o cabelo foi seu maior incômodo e deixa-lo da maneira natural estava fora de cogitação, assim, ela sempre gastou muito dinheiro para manter o cabelo alisado. Até que um belo dia, Violet tem uma surpresa no cabeleireiro e sofre uma grande desilusão amorosa, assim, perante tanta confusão e após algumas doses de bebida alcoólica, ela resolve de forma inusitada raspar a cabeça.

Após raspar a cabeça, a personagem começa a se dar conta de muitas coisas a sua volta que antes não tinha percepção, inclusive a respeito da ditadura da beleza em que vivemos atualmente, onde os corpos e a aparência das mulheres devem ser perfeitos para se encaixar em um padrão de beleza imposto.

Ao longo da história, Violet aprende diversas lições e vamos acompanhando sua transição capilar, onde começa a aceitar seu cabelo de forma natural. Ainda, a personagem desenvolve um interesse amoroso inusitado e aprende muito com esse romance.


A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, texto


São raros os filmes que tratam a respeito da transição capilar e acredito que a proposta de Felicidade Por Um Fio foi muito empoderadora, afinal, Violet para de se importar tanto com a sua aparência e entende que o cabelo não é tudo, bem como, que seu cabelo crespo também é maravilhoso.

A personagem se aceita da forma que é e essa decisão traz muitos efeitos positivos em sua vida, já que se torna uma mulher muito mais empoderada e confiante. 

Além disso, achei incrível a representatividade que esse filme demonstra, já que tem como foco a mulher negra, na qual é a parcela ainda mais oprimida pela ditadura da beleza.

Felicidade Por Um Fio, é um filme sensacional sobre aceitação e amor próprio, e elucida que a busca pela aparência perfeita pode nos destruir, afinal, uma sociedade que consome perfeição não trabalha com realidade.


J. R. R. Tolkien: o senhor da fantasia, de Michael White

30 setembro 2018


J. R. R. Tolkien: o senhor da fantasia, escrito pelo Michael White, é um livro publicado em 2016 em uma edição comemorativa pela DarkSide Books. Como já é de se esperar, o livro traz a história do autor lendário de Senhor dos Anéis e o Hobbit

A obra de Michael White acompanha a vida e a trajetória do escritor, começando por sua infância na África do Sul, seguida do retorno da família para a Inglaterra, onde os Tolkien estabeleceram-se em Birmingham, cidade que passava por uma rápida industrialização nos anos 1890, mas ainda era cercada por uma paisagem de tirar o fôlego. Este cenário que reunia e mesclava o coração industrial do Império britânico próximo a bosques e montanhas idílicas e selvagens foi determinante para as ideias e a escrita de Tolkien. Já é clássico o momento inspirador quando era professor em Oxford e um dia, corrigindo exames, ao se deparar com uma página em branco que um aluno havia deixado no caderno de exercícios, Tolkien escreve de repente: ¿Em uma toca no chão vivia um Hobbit". Bem à sua maneira, ele fica intrigado com aquilo e decide descobrir mais a respeito dos hobbits. Escrito para os seus filhos, O Hobbit tornou-se um sucesso imediato quando foi publicado em 1937. Vendeu milhões de exemplares mundo afora desde então e estabeleceu-se como "um dos livros mais influentes de nossa geração". Influência e paixão que só aumentaram com as adaptações para o cinema da trilogia de O Senhor dos Anéis, por Peter Jackson, e que voltam a atrair a atenção de todos novamente com o começo da nova trilogia de O Hobbit.

Ficha Técnica:
Título: J. R. R. Tolkien: o senhor da fantasia | Autor: Michael White | Ano: 2016 | Páginas: 258 | Idioma: português  | Editora: DarkSide Books

Como uma fã assídua de Senhor dos Anéis e de todo o universo da Terra Média, há muito tempo queria ler a biografia do Tolkien. Queria saber mais sobre sua história, aprofundar sobre como foi sua infância, como foi sua adolescência, seu período na Universidade e entender melhor como surgiram os primeiros resquícios da história fantástica que é Senhor dos Anéis e o Hobbit, além de todos os outros textos sobre o Mundo da Terra Média.

Nessa edição comemorativa de aniversário de 125 anos do autor, finalmente pude me aprofundar em sua história de vida, através dos olhos e pesquisas do autor Michael White (desconhecido por mim até o momento). O livro é dividido em 14 capítulos, indo desde sua infância até o final de sua vida, traçando vários tópicos como família, faculdade, começo dos escritos, etc. 

"ele observava um minúsculo buraco no tecido e fica-se nele por um longo momento, sonhando acordado. Então ele volta a atenção para o papel à sua frente e começa a escrever "Em uma toca no chão vivia um hobbit...".

Confesso que eu esperava um pouco mais dessa biografia, mas no geral, gostei muito da leitura. Não sei se estou mal acostumada com biografias mais intensas e longas como a do Van Gogh, mas essa me pareceu um pouco superficial em alguns momentos. No entanto, não foi algo que prejudicou a leitura, porque eu estava totalmente imersa e fascinada pela história de vida do Tolkien, de como ele cresceu, de como era sua família e da onde veio toda a sua genialidade. 

A leitura é muito fluída, porque a narrativa adotada pelo autor é muito leve e descontraída, não é cheia de firulas ou rodeios, nem palavras rebuscadas, é simples, objetiva, o que contrapoem um pouco a obra do nosso mestre, rs, mas essa ironia a gente não liga muito não, porque o importante foi entender melhor como foi o processo de construção da Terra Média e de toda a genialidade do J. R. R. Tolkien.
Já disse inúmeras vezes o quanto sou fã desse autor e o quanto a Terra Média significa para mim. Mas uma das coisas mais fascinantes em todo esse mundo, é a junção da imaginação com o conhecimento "científico" do autor, como a linguística. Não é fácil criar um mundo fantástico, com seres que não são reais ao público, não é fácil construir cada detalhe de uma personalidade de um Orc ou um Elfo, mas não é fácil - mesmo -, criar línguas para cada povo, runas antigas, línguas élficas, isso é simplesmente genial demais e não tem como não ficar empolgado ao entender melhor o criador disso tudo.

"Por causa dessa habilidade, Tolkien foi capaz de preencher a sua obra com uma força extraordinária. E é por causa dessa força que os leitores tornaram-se totalmente absorvidos pela criação do autor. Pra o fã de Tolkien, nunca é o suficiente. O verdadeiro devoto sempre quer mais - mais detalhes, mais informações. Tolkien poderia ter escrito dez milhões de páginas e ainda assim não teria sido o suficiente para satisfazê-los completamente. Mesmo assim, é um testamento de genialidade do homem que, com alguns milhares de páginas, continua a cativar a mente de milhões e a oferecer aos seis leitores uma realidade alternativa completamente digna de confiança e aboservente, algo incomparável na história da literatura".

O ponto ápice para mim, acontece quando entendemos melhor que tudo o que o tornou quem é, vem desde a sua infância, vem da sua família, vem das pessoas que passaram por sua vida. C. W. Lewis como seu amigo, seus filhos, a morte precóce dos pais, tudo isso contribuiu para que suas histórias tomassem forma e fosse o que são hoje: obras primas. Eu acredito fielmente que um autor se torna grande, quando ele consegue pegar suas experiências e transcrevê-las para suas histórias, de alguma forma. Tudo isso se torna real, traz uma crítica social no momento certo, traz paixão, amor e muito mais. E eu acredito que Senhor dos Anéis é a junção de tudo isso, de toda a experiência dele, de todo o aprendizado, de todo o conhecimento adquirido em sua vida.

O que falar sobre a edição da DarksideBooks? Mais uma vez é um deslumbre para os amantes de liros físicos. A diagramação está impecável, as letras são confortáveis, os detalhes em cada página, em cada início de capítulo, a textura da capa, a aparência envelhecida, tudo  isso é extremamente atrante aos olhos e vale muito a pena ter essa edição em casa. A edição ainda traz fotos, cronologia dos fatos e uma vasta bibliografia em seu final, complementando toda a história já contada nas páginas anteriores.

Se você é fã de Senhor dos Anéis, já sabe que essa leitura é indispensável. Se você não conhece tão aprofundamente assim, esse mundo todo, a leitura também é válida, porque Tolkien foi um exemplo de autor e sua história é fascinante. Eu indico de olhos fechados essa biografia e espero que todos tenham a mesma experiência que eu.

Hoje é o último dia do resto da sua vida, de Ulli Lust

24 setembro 2018

Hoje é o último dia do resto da sua vida, escrito pela Ulli Lust e publicado no Brasil pela Martins Fontes em 2015, é uma história em quadrinhos auto biográfica, onde a autora conta sobre a viagem que realizou com sua amiga Edi, da Áustria para a Sicília em 1984.

Sinopse: Um quadrinho sobre garotas punks cruzando a Itália de carona sem um centavo no bolso. Hoje é o último dia do resto da sua vida é uma crônica intimista, detalhada, engraçada, tocante e dramática sobre a viagem que a autora, Ulli Lust, e sua nova melhor amiga, Edi, fizeram da Áustria para a Sicília, em 1984. Uma história com sexo, drogas e também rock´n´roll. E passagens pela cadeia, tempo ruim, mendicância, lições de vida, novas amizades, atos de generosidade e de traição. E, na Sicília, alguns desentendimentos com a Organização Cujo Nome Você Não Deve Mencionar. Uma viagem iniciática no mundo tragicômico, sem nenhuma complacência e com boa dose de humor.

Ficha técnica:
Título: Hoje é o último dia do resto da sua vida | Autora: Ulli Lust | Ano: 2015 | Páginas: 464
Idioma: português | Editora: Wmf Martins Fontes

Se tem uma coisa que tenho procurado ler mais, essa coisa é quadrinhos. Principalmente os que trazem alguma história que me deixe totalmente imersiva, me deixando completamente a mercê dos acontecimentos e dos personagens. E essa HQ é definitivamente uma das melhores que eu já li na minha vida.

Eu não conhecia a história da autora, Ulli Lust, não li suas obras, mas a premissa dessa HQ auto biográfica me deixou muito curiosa para desvendar sua vida. Eu imaginava, antes de ler, que iria me identificar com algumas coisas e depois de terminar, esse pensamento se concretizou e tive uma das leituras mais complexas da minha vida. Hoje é o último dia do resto da sua vida, é uma história cheia de sarcasmo e melancolia, que andam juntos com a vontade imensa de viver a vida e se provar boa o suficiente.

Ulli Lust saiu em uma viagem com sua melhor amiga, Edi, para uma jornada de auto descobrimento que a rendeu boas histórias. É claro que nada sai como planejado e muita coisa acontece, ainda mais quando você pega carona com desconhecidos, não tem dinheiro e se vê em situações totalmente marginalizadas.

É muito bom quando lemos um livro que nos faz aprofundarmos e entrarmos de uma vez na história. Foi exatamente o que aconteceu com essa HQ. A autora tem uma maneira muito sádica (se podemos chamar assim) de escrever e contar sua triste história. O assédio, o abuso e tantas outras coisas que pelo qual passou, saltam das páginas e batem em nossa cara, mostrando como tudo pode se tornar um pesadelo.

Vemos uma adolescente com sonhos e vontades, se perdendo em um mundo cruel, machista, misógino e perverso. Foi difícil acompanhar toda a trajetória da autora e não se emocionar, não ficar revoltada com esse mundo, mas as lições de vida que tirei depois de acompanhar a jornada de Ulli, não tem preço. Valeu a pena a angústia que se instaurou em mim a cada folheada, porque sua maneira de contar me deixou completamente imersa.

Apesar de ter gostado MUITO de toda a história, confesso que depois da metade do livro, o ritmo caiu um pouco e a leitura deu uma leve arrastada, mas como eu estava vidrada em saber o desfecho da história, não ficou muito difícil passar por esse pequeno momento ruim de ritmo na narrativa. Como é uma história em quadrinhos, as ilustrações conversam com o leitor e aqui não é diferente, os tons de verde, cinza e preto demonstram toda a melancolia da personagem e de tudo o que estava acontecendo em sua vida.

A edição está linda, a capa é um primor e amo o título e de como ele remete a tantas coisas. Descobri em mim um amor por obras biográficas em quadrinhos e deixo aqui a minha profunda indicação. Hoje é o último dia do resto da sua vida traz a jornada de uma mulher que só queria viver e se encontrar, mas que se deparou com um mundo cruél para mulheres. Vale muito a pena a leitura, independente do seu gênero, mas é impossível não se sentir unida à personagem, sabendo que tudo o que ela passou, nós mulheres podemos passar a qualquer momento, em pleno 2018.

Leiam.